Acidente em Casa de show faz 27 vítimas e não tinha alvará de funcionamento

A polícia investiga as condições do imóvel em que 27 pessoas ficaram feridas no domingo (23/09), quando o mezanino da casa de shows Dom Paollo Bar Dançante, desabou. No momento do ocorrido a casa recebia cerca de 300 pessoas e era realizado um desfile infantil organizado por uma agência de modelos. A casa fica na rua Gertrudes de Lima, no Centro de Santo André e segundo a polícia, os bombeiros e a prefeitura, o local não tinha autorização para funcionar.

Por conta do desfile infantil, metade das vítimas eram crianças. As vítimas foram socorridas pelos Bombeiros e pelo Samu, ao Centro Hospitalar Municipal, onde foram medicadas e liberadas. De acordo com a prefeitura foram 27 atendimentos, apenas uma das vítimas foi transferida para o Hospital Mário Covas. O delegado do 1º Distrito Policial (Centro), Gustavo Resende, disse que 22 pessoas figuram como vítimas no Boletim de Ocorrência, destas 11 eram menores. Resende disse que vai aguardar os resultados da perícia que teve início nesta segunda-feira (24/09) para apurar as causas do acidente, mas já há indicativo de que o mezanino não oferecia segurança para abrigar várias pessoas. “Verbalmente os peritos nos disseram que a viga que sustentava a estrutura tinha marcas fadiga e de soldas mal feitas. A parte que fixava a estrutura na parede também era precária”, disse.

O delegado quer ouvir as vítimas e as três pessoas ligadas ao imóvel. O proprietário do imóvel, o dono da casa de show e o responsável pela organização do evento de infantil. Além de ouvir também as vítimas. “Os empresários devem se apresentar logo, mas para ouvir as vítimas temos uma dificuldade, pois a maioria delas veio de outros estados para participar do evento e já voltaram para suas cidades. Por isso vamos manter o contato telefônico com elas para tentar ouvi-las o mais rápido possível”, contou o policial.

Delegado Gustavo Resende, instaurou inquérito para apurar acidente na casa de shows. (Foto: Pedro Diogo)
Delegado Gustavo Resende, instaurou inquérito para apurar acidente na casa de shows. (Foto: Pedro Diogo)

A empresa responsável pelo evento, a Talentos Brilhantes, disse em nota que a Tele Arte Produções foi contratada para organizar o evento. “Já havíamos feito alguns eventos com a Tele Arte Produções e  tudo sempre correu bem. A Tele Arte é uma empresa que realiza eventos de talentos há mais de 20 anos. De nossa parte, oferecemos o nosso apoio e auxílio a todos os presentes”.

O sistema de consulta do Corpo de Bombeiros informa que, para o endereço da casa de shows (rua Gertrudes de Lima, 611) há um AVCB ativo, com vigência até o ano que vem, mas para uma escola de formação profissional.

Já a prefeitura informou que foi pedido o licenciamento para atividade de lanchonete, sem venda de bebidas alcoólicas, o qual ainda não foi deferido, pois aguardava a apresentação do Auto de Vistoria dos Bombeiros. “Portanto, a atividade não poderia estar em funcionamento, nem como lanchonete. A fiscalização da Prefeitura constatou, durante uma averiguação de rotina, que não havia indícios de início de atividade no local no modelo em que foi solicitado. Destacamos que no ano de 2017 o interessado solicitou ainda alvará de uso de solo para a atividade de casa noturna, ao qual foi indeferido por não atendimento à legislação. Lembramos que em nenhum momento o organizador do evento comunicou o poder público sobre a realização do evento”, informou a administração municipal.

Casa de show não tinha alvará de funcionamento (Repórter Diário)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *