A transformação Digital e o Futuro do Trabalho

Com a aceleração dos empregos digitais, a Wyser, divisão de recrutamento e seleção de executivos para média e alta gerência do Gi Group, avalia as profissões do futuro

Apesar do Brasil ser considerado, já há alguns anos, um polo crescente de tecnologia, existem discussões que afirmam que a Transformação Digital (TD) só foi alavancada no País por conta da urgência causada pela pandemia da Covid-19 pois, profissionais, empresas e consumidores foram obrigados a se adaptar a novos serviços, soluções e formas de consumo.

Para a Wyser, divisão especializada em recrutamento e seleção de executivos para média e alta gerência do Gi Group, o universo digital deu passos gigantescos nos últimos meses. Seja por meio dos celulares, computadores, relógios digitais ou outros aparelhos, toda a sociedade passou a ficar ainda mais rodeada e dependente de tecnologias.

Além disso, de acordo com o relatório “Future of Jobs”, de 2020, feito pelo Fórum Econômico Mundial, aponta que as habilidades requisitadas também passaram por mudanças. No Brasil, 97% das empresas que participaram do estudo, disseram que o foco está em automatizar o trabalho e 93% pretendem investir em capacitar os funcionários. 87% das companhias devem contratar profissionais com habilidades relevantes em novas tecnologias e 84% esperam que os funcionários adquiram e desenvolvam mais habilidades no trabalho.

“O futuro dos empregos está passando por uma transformação sem igual. Por isso, as habilidades exigidas pelos empregadores inevitavelmente serão cada vez mais tecnológica” comenta Fábio Nogueira, Diretor de Negócios da Wyser.

E à medida que a evolução se torna cada vez mais presente, o mercado se aquece em funções que alimentam a transformação digital com cargos que requerem habilidades especificas e que contribuem no crescimento com alta demanda para cargos como: Chief Digital OfficerHead of InnovationChief of GrowthHead of Digital AccelerationCloud ArchitectGrowth Marketing e Engenheiro de Automação de Processos (RPA), por exemplo.

Neste cenário de rápida evolução, a capacidade de se antecipar e se preparar se torna fundamental, tanto para empresas quanto para indivíduos. “Só assim será possível aproveitar plenamente essas tendências e reduzir resultados indesejáveis”, conclui o executivo.

Sobre Gi Group

Gi Group é um dos líderes globais em soluções dedicadas ao desenvolvimento do mercado de trabalho com forte destaque nas atividades de Recrutamento e Seleção, Administração de Temporários, projetos de Terceirização (Outsourcing), Marketing Promocional, Treinamento e Consultoria Empresarial em Desenvolvimento Organizacional e Programa de Estágios.

No início de 2007, o Gi Group começou o seu programa de internacionalização que levou o grupo a estar hoje presente em mais de 50 países na Europa, América e Ásia. A companhia também é membro corporativo global da WEC, a Confederação Internacional das Agências de Emprego,  que reúne seis outras multinacionais do setor. O grupo tem faturamento de 2,5 bilhões de euros, e atende mais de 20.000 empresas através de 600 filiais em todo mundo e mais de 3000 funcionários diretos. Saiba mais no www.gigroup.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.