Passeio de Carros Antigos e atividades ao ar livre marcam retomada gradual e planejada de eventos com público em São Caetano

O domingo, 25/7, foi repleto de atrações culturais em São Caetano do Sul: ao longo do dia, no Espaço Verde Chico Mendes, atividades a céu aberto marcaram o primeiro final de semana do evento “Cultura ao Ar Livre”. Pela manhã, o Passeio de Carros Antigos coloriu as ruas e avenidas da cidade com modelos e raridades que encantam gerações. As ações são parte do calendário de festejos pelo aniversário de 144 anos do município e têm a realização da Secretaria Municipal de Cultura (Secult).

Passeio de Carros Antigos

Cerca de 300 veículos automotores, entre carros, camionetes e motocicletas, tomaram as principais vias da cidade com belos e raros exemplares, desde a década de 1920. O desfile contou com a participação de 47 clubes de antigomobilismo, além de entusiastas da região e de cidades como Campinas, Jundiaí, Ribeirão Preto e Uberaba (MG), entre outras. O Passeio de Carros Antigos teve o apoio das secretarias de Mobilidade Urbana (Semob), de Segurança (Seseg) e da Polícia Militar.

O Prefeito Tite Campanella avaliou como um sucesso o evento e, em nome da população da cidade, declara estar ansioso pelo retorno do Encontro de Carros Antigos, realizado anualmente no Espaço Verde Chico Mendes, tão logo a atividade possa ser retomada de maneira segura em seu formato tradicional: “A Secult acolheu muito bem o evento. Contudo, os participantes merecem ter um local para expor o veículo, confraternizar, conversar com os amigos, com as famílias, para que conheçam de perto os carros e um pouco da história do automobilismo”.

O desfile de antigomobilismo arrecadou 530 kg de alimentos, que foram para o Banco de Alimentos do Fundo Social de Solidariedade do município diretamente do ponto de coleta.

Carmen Manfrinatti e Marcelo Patucci mudaram-se para São Caetano há sete meses, com os filhos Mateus e Rafael, de cinco e dois anos, respectivamente. Da calçada da Avenida Goiás, a família assistia ao passeio de perto. Os pequenos se encantavam ao ver passar fuscas, jipes e camionetes: “Eu gosto de todos os tipos de carros. E dos carros de polícia”, conta Mateus, animado.

“As crianças acordaram correndo para não perder o desfile. Estava em nossa programação do final de semana”, relata a mãe Carmen. No roteiro da família, Passeio de Carros Antigos pela manhã e depois Cultura ao Ar Livre no Espaço Verde Chico Mendes. Os filhos, inclusive, levaram livros para doação no evento da tarde: quatro exemplares. “Eles são apaixonados por leitura”, comenta Carmen, orgulhosa.

Cultura ao Ar Livre

No Espaço Verde Chico Mendes, atrações de literatura e de música tomaram conta do palco em frente à Feira de Artesanato & Gastronomia. Na data em que é comemorada o Dia do Escritor, autores e autoras da cidade apresentaram suas obras ao público.

No período da manhã, as atividades musicais contaram com a participação do saxofonista Roque Gomes. À tarde, em formato voz, violão e percussão, subiram ao palco Gilberto Marques e Pacheco.

Durante os trabalhos, foram doados 750 livros para o acervo da Estação Cultura. Os exemplares vão integrar a Sala Multicultural da unidade. Ao longo do dia, foram realizados 25 sorteios de artigos e quitutes da Feira. Ao todo, foram depositados cerca de 300 cupons.

No ponto alto do evento, a família do artista Elber Dias Almeida, contemplado pela Lei Aldir Blanc na cidade e que veio a falecer por Covid-19 durante a execução de seu trabalho, recebeu, em homenagem prestada pela Secretaria de Cultura e pela Fundação das Artes, a publicação “A mão de Josiane”, um roteiro para o meio audiovisual em formato de livro. O texto original, inacabado, foi preservado, na íntegra, em memória do autor. A obra está disponível, em formato PDF, no Instagram da Secult (@secultscs).

Ao entregar o livro de maneira simbólica à família do autor, a secretária de Cultura, Liana Crocco, declarou: “O Elber sempre foi muito dedicado, muito empenhado em produzir, em construir algo novo, em exercitar o pensamento, a arte. E esta é apenas uma pequena homenagem, em nome da Secult e da Fundação das Artes, dos professores e colegas. Espero que de onde ele esteja, esteja consciente de que agora faz parte da nossa história. “

Elisângela Dias Almeida, a irmã do Elber, relatou, emocionada: “Gostaria de agradecer à Secretaria de Cultura pela oportunidade ao meu irmão e por esta homenagem. Hoje é o dia do encontro da família que não pôde se reunir para confortar um ao outro quando ele partiu. Foi um desfecho triste, mas o dia de hoje está confortando os nossos corações. Tenho certeza de que, se tem algum lugar que ele possa estar, está muito feliz, realizado. “

Acompanhe a programação da Secult pelas redes sociais: @secultscs (Instagram e Youtube) e @agendaculturalscs (Facebook).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *