DIAGNÓSTICO FINANCEIRO

Por: Vitor Capelozza | www.vitorcapelozza.com.br

O assunto dinheiro ainda é um tabu em nossa sociedade. Segundo pesquisa realizada pelo SPC Brasil, apenas 44% dos brasileiros falam sobre dinheiro com frequência dentro de casa, um número preocupante que demonstra que ainda temos um longo caminho a percorrer quando se trata de finanças pessoais. Muitos casais enfrentam esse problema e não conseguem dialogar sobre dinheiro, pois, na maioria das vezes o tema é trazido no calor da emoção, quando as contas não fecham em determinado mês, ou para questionar os gastos realizados pelo cônjuge, o que gera discussão e debates desnecessários.

Nossas decisões financeiras impactam em nossa qualidade de vida, e se fossem tomadas em conjunto com a família poderiam evitar erros e questionamentos que prejudicam a relação. É fundamental ter em mente que as decisões sobre dinheiro têm que envolver todas as pessoas da família, inclusive os filhos. O assunto deve fazer parte do dia a dia familiar e ser tratado de forma natural, e não como algo complicado e agressivo.

Alguns motivos pelo qual não falamos sobre dinheiro

· Omissão – Muitos casais não sabem quanto seu parceiro ganha, seja por medo ou vergonha. Em um relacionamento é fundamental a cumplicidade e a confiança mútua. A renda deve ser tratada como do casal, independente de quanto cada um ganha.

· Falta de interesse – Muitas pessoas negligenciam suas finanças por achar que falar sobre dinheiro é chato e não leva a nada, simplesmente deixando as coisas acontecerem.

· Influência familiar – Nossa afinidade com o dinheiro tem relação direta com a maneira como fomos criados. Se o assunto era negligenciado por nossos pais e avós, a grandes chances de darmos o mesmo tratamento às nossas finanças se não dermos a devida atenção.

Ao criar consciência de que suas finanças, projetos e a mudança para uma vida desejada dependem de você, irá gerar um desconforto que consequentemente fará com que você tome as atitudes necessárias para o caminho da prosperidade. O que não podemos é ficar estagnados imaginando que um milagre irá acontecer e da noite para o dia tudo vai melhorar.

A mudança para uma vida financeira saudável e próspera requer paciência, constância, diálogo e acima de tudo motivação. Identificar o que te move em direção aos seus objetivos é o combustível para que a caminhada seja mais leve e todo o processo não seja abandonado em poucas semanas. É fundamental planejar cada passo com muito cuidado e estratégia, executando pequenas tarefas dia após dia para que o objetivo final seja conquistado.

A importância do Diagnóstico Financeiro

Para melhorarmos nossa relação com as finanças e conquistar a vida desejada é fundamental conhecer como está sua realidade atual. Muitas pessoas desconhecem como está seu fluxo de caixa (entradas e saídas de recursos), necessidades de seguros, projetos, investimentos, entre outros. Identificar onde estão os “ralos” de dinheiro em seu orçamento é importante para avaliar se seus gastos atuais fazem sentido e se há necessidades urgentes de ajustes.

O diagnóstico financeiro irá nos mostrar como está sua situação financeira atual, quais são suas vulnerabilidades e as atitudes prioritárias a serem tomadas para que sua vida financeira seja mais próspera.

Podemos comparar o processo de diagnóstico financeiro com uma consulta a um médico, onde será feita uma avaliação prévia de sua saúde, com alguns questionamentos e avaliações simples e identificar quais são os exames necessários a se realizar para oferecer o tratamento adequado ao seu problema.

Cada pessoa ou família tem necessidades e objetivos particulares, seja em produtos financeiros, atitudes comportamentais ou mesmo em prioridades de gastos. Um tratamento nunca será o mesmo para diferentes pessoas, o que torna esse instrumento o ponta pé inicial para a mudança que você tanto deseja.

Alguns pontos importantes devem fazer parte dessa busca por uma vida deseja

Diálogo – Conversar sobre dinheiro é essencial entre a família e amigos. O diálogo aproxima as pessoas e faz com que todos tenham o direito de expressar sua opinião. Comece com a pergunta “você está feliz?”. Essa pergunta fará com que todos argumentem o que está faltando e o que pode ser priorizado no orçamento familiar, de maneira suave e respeitosa.

Façam planos juntos – Existem casais que preferem continuar com as contas correntes separadas, porém, os planos e projetos devem ser um só. Utilizar alguma ferramenta, como uma planilha em Excel, para administrar as finanças da família pode ajudar.

Evite a infidelidade financeira – Não esconda dívidas ou gastos realizados de seu cônjuge, pois isso pode ser prejudicial tanto para as finanças quanto para a relação à dois. Quando temos um plano detalhado a ser seguido que engloba os desejos de todos da família, as chances de a infidelidade financeira acontecer são muito pequenas.

Conclusão

Um processo de mudança para uma vida que sonhamos não é fácil, porém, muito simples. O primeiro passo é saber como está sua vida financeira, e o diagnóstico financeiro irá mostrar uma fotografia atual e quais os principais pontos que precisam ser atacados para que você consiga ajustar suas finanças pessoais. Com ele em mãos, fica mais fácil traçar alternativas para a construção de um caminho ideal da sua vida financeira atual, para a vida desejada.

Coloque como meta de vida organizar suas finanças e tenha mais liberdade de escolha para fazer aquilo que mais gosta. Isso é ser feliz!

Até breve!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *