MAIS RETORNO NOS INVESTIMENTOS

Sabemos que para construir uma carteira de investimentos eficiente temos que diversificar. Classes diferentes de ativos, mercado nacional e internacional, produtos não correlacionados, são exemplos de como devemos utilizar a diversificação para diminuir os riscos e obter ganhos consistentes.

Hoje, com a taxa básica da economia (Selic) em 4,25% ao ano, e a inflação em 8,35% no acumulado em 12 meses, o retorno dos produtos financeiros atrelados à Selic ou ao DI fica bastante comprometido em termos de retorno real.

Com o movimento da economia e as taxas de retorno da renda fixa mais baixas, as oportunidades para quem almeja retornos melhores estão na renda variável. Dados da B3 (Bolsa de valores brasileira) informa que em 2020 (até julho) tivemos 68% novos investidores pessoa física na Bolsa de valores em relação ao ano anterior, o que mostra que o investidor está procurando diversificar seus investimentos para obter melhores ganhos.

A renda fixa ainda é interessante?

A pergunta que fica é se o investimento em produtos de renda fixa ainda é interessante. E a resposta é que SIM! Os produtos de renda fixa farão parte de uma carteira de investimentos eficiente.

A reserva de emergências deve ser composta por produtos menos voláteis, conservadores e com ótima liquidez. Essas são características de produtos de renda fixa, como os CDBs, Fundos de Renda Fixa e Tesouro Selic, por exemplo. Essa reserva pode ser utilizada também para oportunidades de negócio, como a compra de ações, fundos de ações, ou outro produto de investimento que ficou mais barato com grande potencial de retorno.

Com as taxas de retorno mais achatadas, é fundamental pesquisar produtos de renda fixa com ótimos desempenhos e principalmente comparar as taxas cobradas pelos administradores dos fundos de investimentos. Nada justifica cobrar taxas elevadas para produtos que não exigem uma atuação ativa por parte do gestor da carteira desses fundos. Pesquise e compare as opções.

Como diversificar na renda variável

Os produtos de renda variável são mais voláteis que os produtos de renda fixa e tendem a entregar mais resultado no longo prazo, obviamente se bem escolhidos. Essa volatilidade pode assustar os investidores mais conservadores, que por características buscam produtos mais previsíveis no mercado, mas, mesmo esses investidores devem aportar parte de seus recursos em produtos mais arrojados para conseguir retornos mais interessantes.

Conseguiremos controlar o medo em relação aos produtos mais voláteis com conhecimento tanto dos ativos quanto de nossa personalidade como investidores. Saber o quanto estamos dispostos a suportar o sobe e desce do mercado e conhecer as principais características de cada produto de investimento é essencial para construirmos uma carteira adequada a nossa realidade.

Além da reserva de emergências, que é essencial para sua carteira de investimentos, podemos pensar em uma sequência para começar a investir em produtos mais arrojados:

Fundos de Previdência Privada – Os fundos de previdência privada são produtos que tem por objetivo inicial a construção de um patrimônio que será utilizado na aposentadoria. Para investidores que contam com mais tempo para usufruir desse tipo de produto, é interessante acessar fundos de previdência mais arrojados, que possuem produtos como ações e fundos de ações em seu portfólio, pois, no longo prazo o retorno será maior que um fundo de previdência mais conservador. É preciso contar com o auxílio de profissionais para acessar o fundo de previdência mais adequado a sua realidade e obter todos os benefícios possíveis, tanto em rentabilidade, quanto em riscos e tributação.

Fundos de Investimentos Imobiliários – Em essência, esse é um produto de renda variável, pois, de acordo com o movimento da economia, seu valor pode subir ou descer, o que pode afastar muitos investidores que estão iniciando. Porém, o grande determinante para escolha de determinado fundo imobiliário não é o valor de sua cota, mas sim, o quanto ele entrega de resultados para cada cotista em forma de dividendos mensais. É fundamental acompanhar o mercado e as análises que esses produtos disponibilizam a todos os investidores.

Fundos Multimercado – Nesse tipo de produto de investimento, o gestor tem mais liberdade para montar uma estratégia que se beneficie do cenário atual da economia, sempre respeitando os limites impostos no regulamento do fundo. Os fundos multimercado tem em sua composição tanto produtos de renda fixa quanto de renda variável, e tendem a oscilar de acordo com o sobe e desce da economia, porém, esses produtos oscilam menos que os fundos puramente de ações.

Fundos de Ações – É um produto adequado para quem ainda não se sente seguro em compras ações diretamente no mercado. Em fundos de ações o investidor irá confiar na estratégia de um gestor que irá comprar e vender ações no mercado com o objetivo de entregar o resultado esperado pelos seus cotistas, respeitando as diretrizes do regulamento do fundo. É importante pesquisar os fundos de ações e verificar seu comportamento ao longo do tempo.

Ações – Aqui, o investidor irá comprar e vender ações diretamente no mercado através do homebroker, que é o sistema eletrônico disponível em seu banco ou corretora para as operações no mercado acionário. É recomendável estudar bastante o mercado de ações antes de começar a investir. Comece com pequenos valores e vá ganhando confiança. As corretoras e os bancos disponibilizam para os investidores materiais e relatórios com carteiras recomendadas que podem ser bastante úteis para aqueles que estão começando a investir diretamente na bolsa.

Conclusão

Para começar a “arriscar” mais e investir em produtos com perspectivas de melhores retornos é preciso construir uma estratégia adequada a sua realidade e estar com seu planejamento financeiro estruturado. É fundamental ajustar seu fluxo de caixa, dívidas, necessidades de seguros e projetos, por exemplo, para que a construção de sua carteira de investimentos seja eficiente e entregue o retorno esperado em seu planejamento.

Procure conhecer os produtos onde pretende investir e principalmente sua capacidade e disposição em assumir riscos, pois não adianta acessar produtos financeiros que estão na “moda” e que não fazem nenhum sentido para você, sendo que suas necessidades financeiras são outras. Tenha consciência, busque informação e conte com profissionais capacitados para lhe dar o melhor suporte.

Até breve!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *