Organizações Financeira

Por: Vitor Capelozza | www.vitorcapelozza.com.br

O tema finanças pessoais sempre foi um tabu em nossa sociedade, seja por medo de expor sua própria situação financeira ou mesmo negligência em discutir melhores alternativas para a construção de um caminho mais próspero para o dinheiro. Com a educação financeira entrando aos poucos nas escolas recentemente, a semente plantada começará a dar seus primeiros frutos daqui a alguns anos.

A atual crise nos mostrou o quanto se organizar financeiramente pode trazer benefícios e nos proteger de imprevistos, que sempre irão acontecer em nossa vida. Quem estava com as finanças equilibradas aproveitou o momento de queda nos mercados e se posicionou de maneira a aproveitar a volta da economia e surfar a onda de alta dos investimentos. Porém, quem negligenciou seu dinheiro teve que enfrentar maiores dificuldades para equilibrar as contas.

Nunca foi tão propício colocar na agenda, que pode estar um pouco mais leve devido a adoção do home office e pelo fato do isolamento social, algumas horas da semana para se dedicar às finanças e se organizar financeiramente. O início pode ser estressante e trabalhoso, porém, seus benefícios serão sentidos por muitos anos.

A importância de se organizar financeiramente

Além de aproveitar oportunidades e sentir menos os efeitos de uma crise, se organizar financeiramente pode trazer muitos outros benefícios. Terminar o mês no azul é satisfatório, e só será possível registrando tudo o que entra e tudo o que sai. Anotar todos seus gastos pode parecer maçante no começo, mas após algumas semanas essa atividade entrará no modo automático e não tomará mais do que algumas horas semanais.

A ideia da construção de um orçamento doméstico, com todas as entradas e saídas, dará uma visão holística de suas finanças. É possível verificar como seu fluxo de caixa estará daqui a alguns meses, e fazer simulações para corrigir eventuais problemas. Gerenciar como estão seus gastos por categorias irá facilitar o controle e dará a possibilidade de estipular metas mensais de despesas. Com esse controle mensal, é possível projetar sua média de gastos para os meses seguintes e pilotar o orçamento para que os gastos se mantenham conforme o planejado.

Ter objetivos claros e um propósito muito forte, pode dar a você a força e a energia para enfrentar a batalha de colocar todas as contas em ordem. Definir metas realistas e acompanhar periodicamente sua evolução é importante e fará com que você persista no caminho até conquistar seus objetivos.

Como se organizar financeiramente

Dar o primeiro passo é o mais importante para se organizar financeiramente. Coloque toda a papelada em cima da mesa, como contas, financiamentos, empréstimos, dívidas, e toda a documentação necessária para a organização. Abaixo, alguns passos importantes para que sua vida financeira entre no caminho da prosperidade.

  1. Sair do vermelho

Com o auxílio do orçamento doméstico, avalie todos os seus gastos e fontes de renda em detalhes para verificar possíveis ajustes. Faça cortes em itens que entenda que sejam menos importantes nesse momento, e estabeleça metas para seus gastos. Elencar as dívidas em ordem de custo efetivo total (das maiores para as menores) é fundamental para priorizar as que ocupam maior espaço no orçamento.

É importante sair do vermelho antes de começar a investir pois, na maioria dos casos, o custo das dívidas é superior ao rendimento dos produtos financeiros.

  1. Anote todos os seus gastos

É essencial anotar todos os seus gastos, seja em uma planilha, caderno, ou pedaço de papel, não importa a ferramenta, mas sim que anote, pois não conseguimos melhorar aquilo que não medimos. Particularmente gosto de uma planilha em Excel devido a sua praticidade e versatilidade em gerenciar os dados, seja em tabelas ou gráficos para uma melhor visualização da situação.

  1. Troque dívidas caras por dívidas mais baratas

Muitas vezes o melhor caminho é adquirir novas dívidas para se livrar de outras. Como mencionei anteriormente, devemos atacar primeiramente as dívidas mais caras, aquelas com seu custo efetivo total maior, e na maioria dos casos as dívidas do rotativo do cartão de crédito e do cheque especial são as mais elevadas.

Pode ser uma alternativa adquirir um empréstimo com juros menores e quitar as dívidas com o cartão e o cheque especial, para ficar apenas com a obrigação de pagamento do empréstimo. É preciso avaliar muito bem essa opção para não se comprometer além do necessário.

  1. Horas extras e segunda atividade

Não é raro quando estamos analisando nossos gastos verificar que já cortamos tudo aquilo que era possível e ainda estamos em desequilíbrio. Antes de tomar medidas mais drásticas, existe a possibilidade de realizar horas extras em sua atual ocupação profissional, ou mesmo começar uma segunda atividade para organizar suas finanças.

Com o avanço da tecnologia, hoje existem sites que reúnem profissionais dispostos a ceder algumas horas do seu dia para executar atividades (freelancer) a fim de desenvolver uma segunda atividade para complementar sua renda mensal. Transformar um hobby em uma atividade remunerada pode ser interessante para sua carreira e sua qualidade de vida.

  1. Construa sua reserva de emergências

Ao se organizar financeiramente, é essencial criar em paralelo sua reserva de emergência, que é de onde você irá retirar recursos para imprevistos, ou mesmo oportunidades de mercado.

Imagine a perda de um emprego que derruba sua renda familiar mensal consideravelmente. Sem uma reserva equivalente a 6 vezes, no mínimo, de seu gasto mensal, essa situação pode fazer com que o que era ruim devido a perda do emprego, se torne um pesadelo ao elevar seu nível de desequilíbrio com a aquisição de empréstimos para pagar as contas no final do mês.

  1. Estabeleça prioridades

Ao estabelecer um plano para se organizar financeiramente, é fundamental estabelecer algumas prioridades, e uma delas é definir o que é importante e o que faz sentido para sua vida. Planos e objetivos vêm em primeiro lugar, e devem ser prioridade para alocação de recursos. É aquele velho pensamento de “pague-se primeiro”. Depois, os recursos devem ser direcionados para sua qualidade de vida presente. E por fim, gastos com burocracia, como estrutura residencial, bens móveis, entre outros.

Conclusão

Tenha consciência de que existe um caminho a percorrer para se organizar financeiramente. Não existe atalho nem um passe de mágica que, de um dia para outro, eliminará todos os seus problemas. A organização financeira é um processo construído passo a passo, com cuidado e cautela, porém, com foco e determinação para que os objetivos sejam alcançados e as mudanças sejam consistentes.

Até breve,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *