PARA ONDE VAI O SEU DINHEIRO?

Por: Vitor Capelozza

Sabemos que para um planejamento financeiro ser eficiente, precisamos coletar informações importantes e precisas, desde a renda familiar atual, passando pelos projetos, até como a família quer viver na aposentadoria. Organizar o fluxo de caixa é essencial para que os objetivos e metas sejam alcançados e para que eventuais ajustes no orçamento doméstico sejam efetuados.

Um dos problemas mais recorrentes nas finanças pessoais é o descontrole com os gastos domésticos. Em pesquisa realizada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), o número de famílias com dívidas em cheque pré-datado, cartão de crédito, cheque especial, carnê de loja, empréstimo pessoal, prestação de carro e seguro em maio desse ano foi de 66,5%. Em 2019 o percentual estava em 63,4%.

É fato que a pandemia do Coronavírus influenciou negativamente as finanças de muitas famílias, seja na redução da renda, ou mesmo a perda do emprego, que na maioria dos casos traz consequências terríveis. Essa situação enfatiza ainda mais a importância de se ter um planejamento financeiro construído e atualizado periodicamente, para que crises como a que estamos vivendo sejam menos traumáticas em nossas vidas.

É preciso cortar o cafezinho?

Quando se fala em enxugar as despesas para organizar as finanças, a primeira coisa que vem à cabeça da maioria das pessoas é cortar tudo o que é possível, até mesmo aqueles gastos que são a válvula de escape de muitas pessoas, como por exemplo o futebol de fim de semana, o passeio com as crianças, ou os cuidados estéticos.

É um erro querer cortar esses gastos, pois são eles que trazem mais alegria ao seu dia a dia. O ideal é organizar todos os gastos e analisar o que pode ser substituído, ou mesmo cancelado, como planos de celulares, que devem ser reavaliados, planos de internet, assinaturas de jornais e revistas, entre outros. Elimine de seu orçamento doméstico todos os gastos que não fazem sentido nesse momento e não fazem parte de seu projeto atual de vida.

Quando priorizamos aquilo que nos faz bem, automaticamente iremos eliminar gastos desnecessários. Conversar em família sobre dinheiro é fundamental para que o processo seja mais eficiente. Entender o que todos pensam pode facilitar muito as coisas, e o sucesso no ajuste das contas depende disso.

Como controlar as finanças?

Existem alguns conceitos que irão nos ajudar a controlar nossas finanças e a não entrar mais no vermelho. Confira alguns:

  • Entenda suas despesas – É muito importante que você entenda para onde vai o seu dinheiro todos os meses. Em um primeiro momento pode até parecer um exercício simples, mas que pode revelar gastos desnecessários que até então não eram percebidos. É fundamental verificar quanto seu orçamento está engessados com despesas fixas, como parcelamento e empréstimos, que podem estar estrangulando seu fluxo de caixa.
  • Equilibre seus gastos – Financeiramente falando, a melhor compra é aquela em que você efetua o pagamento à vista, e com desconto, porém, sabemos que na maioria das vezes isso não é possível, e o instrumento mais acessado nesse momento é o cartão de crédito. O cartão de crédito é uma ótima ferramenta em nosso orçamento, porém deve ser utilizado com muita consciência. Estabeleça um valor de gasto mensal no cartão e acompanhe semanalmente para que não gaste mais do que devia. Equilibrar é fundamental.
  • Planeje suas compras – Objetivos devem ser planejados. Tem o sonho de comprar a casa própria? Trocar de carro? Fazer aquela viagem de lua de mel? O ideal é planejar antecipadamente cada passo rumo a essas conquistas. Traçar estratégias para cada meta é fundamental para que a conquista seja saboreada e não se torne um problema futuramente. O planejamento também vale para o consumo do dia a dia, como supermercado e passeios no fim de semana.
  • Construa sua reserva financeira – Imprevistos irão acontecer em sua vida, e o que você irá fazer? Construir sua reserva de emergência é essencial para que momentos turbulentos sejam minimizados e você tenha capacidade para contorná-los. Tenha nessa reserva o equivalente a 12 vezes seu gasto mensal investidos em produtos com alta liquidez e conservadores, como o Tesouro Selic e fundos DI.

Esses passos irão ajudar você a organizar suas finanças e a ajustar seu fluxo de caixa para que sonhos sejam conquistados, porém, um ponto crucial e que fará toda a diferença na condução de todo o processo será seu engajamento. É fundamental encontrar o que te motiva para seguir adiante apesar das dificuldades que irão aparecer.

Conclusão

Um planejamento financeiro eficiente deve abordar um ponto fundamental que são os gastos. Saber onde nosso dinheiro está sendo utilizado e quais possíveis “ralos” estão sugando nossa renda é essencial para efetuar os ajustes necessários. Gastar mais do que se ganha pode esconder questões comportamentais muitas vezes mais graves do que se imagina, e o acompanhamento de um profissional capacitado é de extrema importância.

Conversar com a família sobre eventuais problemas no orçamento fará com que todos estejam conscientes da situação e colaborem com os ajustes propostos. Elencar todos os gastos dará uma visão mais ampla e clara de como os recursos estão sendo utilizados e qual o tamanho do problema no orçamento. Priorize gastos que estejam alinhados com os objetivos de cada membro da família e com os objetivos em comum, eliminando tudo aquilo que não faz sentido nesse momento.

Com um plano construído, o combustível para permanecer no caminho será a disciplina. Qualquer descuido fará com que o plano seja revisto e adiado, o que pode trazer consequências para o orçamento.

Tome as rédeas de suas finanças e conte sempre com um profissional capacitado para ajudar em questões específicas. O planejamento financeiro trará mais felicidade para a sua vida!

Até breve,

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *