Pista de skate de São Caetano será reinaugurada neste sábado, 24

Intervenções em graffiti são destaque na revitalização do local

Neste sábado, 24/7, às 10h, será feita a reinauguração da Pista de Skate “Mário Manoel Davi” (Rua Serafim Constantino, s/nº, Centro). O local passou por obras de revitalização, em uma parceria entre as secretarias municipais de Esporte, Lazer e Juventude (Selj), Cultura (Secult), Serviços Urbanos (Sesurb) e o Sistema de Água, Esgoto e Saneamento Ambiental de São Caetano do Sul (Saesa).

A área própria para a prática de skate foi criada em 2008, atendendo a solicitações de munícipes. O equipamento, que conta com banks/snake, uma pista “padrão”, mini ramp e área para crianças, ganhou nova iluminação com lâmpadas de LED, banheiros, pintura e modernização do piso, que agora tem novos obstáculos. As intervenções foram acompanhadas de perto por skatistas e artistas do graffiti.

São 65 representantes da arte urbana com o uso do spray participando por meio de criações livres: dos precursores às novas gerações, sob o mesmo propósito: o de tornar o espaço mais colorido, mais atraente, presença marcante do espírito da juventude sancaetanense. Nesse sentido, a aproximação do Poder Público com o artista é a peça-chave para fomentar a cultura na cidade, em suas mais diversas manifestações.

Voz e vez

“Nossa ideia foi dar voz e vez aos artistas. Em vez de apresentar um plano de trabalho pronto, previamente elaborado, perguntamos a eles o que pensavam que poderíamos fazer. Juntos: artistas e Poder Público”, explica Rubens Foina Neto, à frente da Coordenadoria Municipal de Políticas Públicas de Juventude (Comjuv), vinculada à Secretaria de Esporte, Lazer e Juventude.

Rogério Padial trabalha com graffiti e fotografia. Ficou responsável pela medição e distribuição da área para grafitagem entre os participantes: “Entreguei o mesmo espaço para o artista mais experiente e para o novato, independentemente do resultado do trabalho. A rua tem esse caráter: a democratização do espaço.”

“A experiência foi maravilhosa, de conhecer pessoalmente – e trabalhar junto! – com quem tanto admiro. É um aprendizado muito valioso. Vi pais e filhos pintando, casais. Grafiteiro amador e profissional, artista plástico, tatuador, gente que nunca tinha desenhado no muro, jovens e adultos”, comenta Padial.

Eliaser Castro, um dos responsáveis pela organização dos trabalhos, destaca: “fiquei muito feliz em contribuir com o projeto de revitalização da pista de skate por meio do graffiti. O esporte anda lado a lado com esse estilo de expressão artística e também com o Hip Hop. O diálogo entre a Secretaria de Cultura e esse movimento é muito importante para o crescimento cultural do município. “

Pioneirismo

Nos anos 1980, São Caetano chegou a ser conhecida como a cidade dos graffitis, graças às ações de vanguarda de um grupo de amigos. Entre os quais, Numa Júnior, Job Leocadio, Eddie e Jorge Tavares, que redimensionaram o cenário urbano.

Numa grafitou no lado ocidental do Muro de Berlim, em uma viagem à Europa em 1989, dias antes da demolição. A queda do Muro de Berlim é um marco na história da humanidade que sela o fim da Guerra Fria.

Segundo Numa, “a união das culturas ditas marginais (graffiti, skate e hip hop) foi guiando meu trabalho como grafiteiro, sempre apoiado pela Prefeitura. Minhas filhas andavam de skate na pista e participavam comigo do graffiti. Contudo, minha ligação com a pista de skate, com a Comjuv e a atual Estação Cultura vem de 2004, quando fui convidado para ministrar no local uma Oficina de Graffiti para atender a jovens em situação de risco social. Alguns destes ex-alunos hoje estão participando do projeto de revitalização. Esta ação valoriza o munícipe ao ser reconhecido como artista.”

“Fizemos o primeiro projeto de graffiti na cidade, ‘São Caetano conta sua história em Graffiti’, em 1989. Hoje, por intermédio das ações de revitalização da pista, percebi que o espírito marginal ainda impera, pois a organização dos artistas e a disposição dos espaços foi feita por eles próprios. Pelo boca a boca, reuniu-se uma legião de grandes talentos, da cidade e região”, relata Job Leocádio.

Nas palavras do artista do spray e skatista Regi, “sou morador de São Caetano e me sinto lisonjeado por ter um trabalho meu exposto e reconhecido onde me divirto tanto com minha família. Minha filha frequenta (a pista de skate) comigo, meus amigos já de muito tempo. É o meu estilo que está ali. Ganhar espaço na pista foi muito bom para expor de fato o meu trabalho, já que atuei, nos últimos 30 anos, com a parte comercial do graffiti.”

Acompanhe a programação da Secult pelas redes sociais: @secultscs (Instagram e Youtube) e @agendaculturalscs (Facebook).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *