Por que a cremação é a melhor alternativa para um pet que se foi?

Entenda sobre a cremação de animais e porque é a melhor alternativa para um pet que se foi

Veja como solicitar a cremação e os motivos para recorrer a ela

A cremação de animais está ganhando cada vez mais adeptos ao redor do mundo. Mais sustentável e afetiva, a cremação é uma solução rápida, acessível e, muitas vezes, disponibilizada gratuitamente pelas prefeituras.

Quando a morte de um pet acontece, é sempre um momento de muita tristeza, fazendo com que seus tutores fiquem confusos e com dúvidas do que fazer depois.

De acordo com o Instituto de Geociência da USP, 60% dos animais domésticos que falecem são deixados em terrenos baldios, quintais ou jardins, sem nenhuma preparação prévia. Além disso, 7% deles são colocados em sacos de lixo e deixados pela rua!

Só 20% são entregues aos órgãos competentes e oficializados para dar o destino correto. O aumento da divulgação dos benefícios da cremação pode alterar este cenário.

Quais os benefícios da cremação de animais?

As vantagens de optar pela cremação do seu animal de estimação são inúmeras. A primeira delas é a questão do cuidado com o meio ambiente, já que tanto no processo de cremação quanto depois os danos ambientais são zerados.

Enterrar um pet pode ocasionar a contaminação do solo próximo ao lençol freático da região escolhida, podendo disseminar doenças de animais para os seres humanos.

A possibilidade de guardar as cinzas também é um dos pontos altos da cremação, possibilitando aos tutores levar uma lembrança para casa ou depositá-la em algum lugar memorável para ambos.

A morte do pet causa um luto muito grande e a praticidade de optar por cremá-lo é muito bem-vinda no momento, já que todos os procedimentos são guiados e feitos por profissionais da área.

Outro benefício explorado é o de amenizar o sofrimento dos tutores, principalmente quando envolvem crianças.

A cerimônia de cremação é leve, tranquila e afetiva, evitando que qualquer tipo de trauma seja criado aos participantes. Também existe a opção de não haver nenhuma cerimônia, fazendo com que toda a cremação aconteça longe dos tutores, com rapidez e profissionalismo.

Como funciona o processo?

Depois da cerimônia de despedida, o corpo do pet é refrigerado a 0°C para aguardar a hora da cremação. O processo acontece em um forno com tijolos e duas câmaras de cremação que elevam a temperatura do lugar a mais de mil graus.

Estas duas câmaras são o que garantem que nenhum dos gases poluentes gerados pelo processo atinjam o meio ambiente. A fumaça é liberada por uma chaminé já sem odores, cores ou agentes que causam danos à atmosfera.

Toda a cremação acontece em um período de 2 horas. Isso pode variar de acordo com o tamanho do pet, a temperatura do forno e até o próprio recipiente disponibilizado pela empresa.

Após a realização completa dos procedimentos, o pó fino que sobre na câmara é coletado, posto em um recipiente e entregue ao tutor do animal.

É comum também que seja oferecido um atestado assinado pelo veterinário responsável, garantindo a qualidade de padrões exigida pela legislação de cada cidade ou Estado.

Como acontece a despedida?

A cremação acontece de diversas maneiras e empresas podem oferecer pacotes diferentes de contratação dos seus serviços.

É possível incluir uma cerimônia de despedida, a urna para as cinzas após o procedimento e existem até mesmo aquelas que oferecem aos contratantes a possibilidade de serem entregues pingentes de cristal com parte das cinzas do pet! Nada mais afetivo e amoroso do que ter a chance de guardar algo tão íntimo do seu animal de estimação.

A cerimônia de despedida precisa ser combinada com a empresa, podendo incluir a apresentação de fotos, música, flores, iluminação especial e contação de histórias pelos tutores para as pessoas presentes.

Neste momento, o apoio das pessoas queridas é sempre muito importante e poder reuni-los é um ótimo conforto para todos os envolvidos na perda.

O luto precisa ser respeitado e vivido da melhor forma possível e poder contar com rituais de despedida costumam auxiliar muito neste processo doloroso.

Por que não é recomendado enterrar?

O enterro de animais acontece sempre de maneira caseira e improvisada, sem qualquer protocolo de segurança que evite a contaminação do solo e do meio ambiente.

Principalmente se o pet faleceu por conta de alguma doença contagiosa, este agente pode adentrar no solo ou na região, contaminando a água local e sendo ainda mais fácil de transmitir doenças relacionadas a um enterro mal conduzido e sem o devido direcionamento profissional.

Toxoplasmose, raiva e leptospirose, que são doenças comuns entre os cães, podem ser passadas para humanos com facilidade. Quando a decomposição começa a acontecer, o necrochorume liberado pelo corpo pode gerar outras condições negativas de saúde para as proximidades como o tétano e a hepatite.

Além do que, caso não seja colocado a uma certa profundidade na terra, o mal cheiro pode prevalecer e criar situações desagradáveis.

A dica é sempre conversar e pedir a opinião dos profissionais da sua clínica veterinária de confiança. Todos eles poderão te orientar com dicas práticas e emocionais na hora de se despedir do seu animal de estimação.

O direcionamento de veterinários qualificados é muito indicado nessas horas que não temos tanto discernimento para fazer as melhores escolhas. É muito provável que eles saberão indicar empresas especializadas ou direcioná-lo aos profissionais mais indicados para tal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *