Atividades de rotina durante a quarentena podem desencadear problemas no cotovelo

Cinco mitos e verdades da epicondilite lateral 

Em tempos de isolamento social, em que estamos realizando atividades domésticas com frequência e até mesmo na hora do home office improvisado, os movimentos repetitivos e a sobrecarga se tornam ações comuns, podendo ser uma causa para o desencadeamento da epicondilite lateral, síndrome de uso excessivo mais comum no cotovelo causada pela inflamação e micro rompimento de fibras dos tendões extensores do antebraço.

Dito isto, o ortopedista especialista em ombro e cotovelo e sócio da Clínica LARC, Dr. Layron Alves explica os mitos e verdades em torno deste assunto.

Diversos esportes e atividades podem causar a epicondilite lateral. Verdade! O problema que também é conhecido como cotovelo do tenista por conta de afetar os praticantes desse esporte, também pode ser um fator de risco para pessoas que praticam outras atividades, em que seja necessário realizar movimentos repetitivos.

Dor no cotovelo é o único sinal do problema. Mito! Além da dor na hora de pegar ou apertar algum objeto, o indivíduo pode também sentir rigidez, sensação de fraqueza ou dificuldade em mover o cotovelo ou o pulso e também problemas para estender o cotovelo.

O problema não precisa de tratamento, pois melhora com o passar do tempo. Mito! Sem receber o diagnóstico e tratamento necessário com a orientação do médico ortopedista, o quadro de epicondilite pode evoluir para degeneração do tendão, causando no paciente dor crônica e redução de força muscular, o que, consequentemente, pode comprometer sua qualidade de vida.

O problema pode ser tratado de diversas formas. Verdade!
 Os cuidados podem ser realizados por meio de repouso, bolsas de gelo, e uso de remédios orais. Atualmente, está à disposição da medicina um inovador tratamento por meio de infiltração, que são aplicações de injeções de medicamentos que aliviam a dor e ajudam a diminuir o processo inflamatório.

É possível realizar ações para evitar o problema. Verdade! Prestar atenção na postura na hora de passar roupa, varrer a casa, adaptar mesas e cadeiras na hora das atividades que serão feitas sentado para que se fique em uma posição correta e confortável, fazer pausas durante as atividades e realizar exercícios e alongamento são métodos válidos.

Dr. Layron Alves é ortopedista e especialista em cirurgia do ombro e cotovelo, membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT) e da Sociedade Brasileira de Cirurgia do Ombro e Cotovelo (SBCOC). O especialista é preceptor efetivo da residência médica do Hospital Ipiranga SP. Atualmente mestrando e doutorando em Ciências da saúde e membro do grupo de cirurgia do ombro e cotovelo da Faculdade de Medicina do ABC.  Instagram @dr.layronalves

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *